Ruminação da Palavra

Com o passar dos anos, nós da Canção Nova avançamos na maneira de trabalhar com a Bíblia e de fazer o nosso Diário Espiritual.Desenvolvemos a chamada ruminação da palavra. Esse é um método bom para aquele que já tem uma boa caminhada na seara da Palavra de Deus, especialmente aqueles que já tem uma boa caminhada na seara da palavra de Deus, especialmente aqueles que fizeram o método básico do diário espiritual. 

Esse passo à frente bom, é saudável, leva-nos a crescer e a nos aprofundar na Palavra. É mais uma opção de trabalho. Você pode recorrer a outras formas como e quando quiser.

A palavra Ruminação se adapta bem a esse método. Tal como os bovinos, comemos a Palavra de Deus e, em seguida, paramos e começamos a ruminar o conteúdo engolido. Esse é um momento vital; é a condição necessária à boa digestão e assimilação.



O método tem cinco etapas ou movimentos: ler, saborear, orar, contemplar, e escrever.

 

1. LER: Escutamos a palavra de Deus. É a hora de engolir. É uma leitura bem ativa: lemos com lápis ou caneta na mão, sublinhando e destacando elementos essenciais: verbos, sujeitos ativos, ações, atitudes, pensamentos, a situação, os motivos das ações.
Mais do que ler, na verdade relemos várias vezes, fazendo com a caneta todas essas anotações. Podemos recorrer a outras traduções que ajudem a esclarecer; lançar mão de introduções, explicações e notas de rodapé, hoje abundantes em nossas Bíblias; podemos também comparar com as passagens paralelas, em geral indicadas nas margens das páginas da Bíblia, logo depois dos títulos ou rodapé da página.

é o primeiro estágio do mastigar e engolir. Vamos prestando atenção aos vários pontos indicados, deixando-nos levar de uns para outros a partir do seu próprio movimento interior; isso leva de modo natural a um surpreendente entendimento. É a luz que se faz interior.

2. SABOREAR: Poderíamos chamar essa etapa de meditar, pois na verdade é uma meditação da Palavra mastigada. Não o fazemos, contudo, para não dar a impressão errônea de que se trata de um trabalho puramente intelectual, preferindo denominá-la saborear.

Eu tive um professor de ciências que dizia que na hora em que o boi e a vaca ruminam o capim na boca, por causa da saliva, ele fica doce. Nós brincávamos com o nosso professor perguntando como é que ele sabia...

Na verdade, essa é a hora de sentir a palavra. A inteligência também participa desse momento, mas não só ela.Nessa hora entram também os sentimentos, a nossa liberdade movida pelo espírito, os vários movimentos da vontade.

É o momento chave de se deixar impregnar pelos sentimentos que o Espírito Santo provoca em nós através da palavra: alegria, medo, confiança, generosidade, arrependimento, esperança, entusiasmo etc. São vários sentimentos e impulsos que se misturam uns aos outros.

3. ORAR: Naturalmente, esses sentimentos nos levam a dar uma resposta. Não é tanto responder à Palavra quanto ao Senhor que, pela Palavra, infundiu em nós esses impulsos. Brotam naturalmente o louvor, o arrependimento, a súplica, a gratidão, o pedido de perdão, a oferta, a adoração e assim por diante.
Mais do que oração por palavra, essa vai ser uma oração de sentimentos e de atitudes interiores.

4. CONTEMPLAR: Pouco a pouco, todos aqueles sentimentos que se misturavam e se multiplicavam em nós, os vários movimentos de oração por eles provocados vão se simplificando e se unificando em nosso íntimo. É a hora da tranqüilidade, da harmonia, do repouso em Deus.
Eis o que significa contemplação: entramos, mediante a Palavra, no Templo de Deus que existe em todos nós e aí nos deixamos ficar repousando no Senhor. Vem aqui a simplificação de todos os nossos movimentos interiores.

5. ESCREVER: O ponto de chegada é a contemplação. Contudo, depois que a rede está repleta de peixes, não se pode deixar que escapem e se vão. Apesar do gozo espiritual que a contemplação lhe traz, ponha-se a escrever: é o seu Diário Espiritual, feito agora de maneira distinta e certamente muito proveitosa.

Não é questão de escrever muito, nem é o momento de narrar ou descrever o que se passou. Agora, temos somente de registrar:

– O que Deus me falou?
– O que Ele realizou em mim?
– O que Ele deixou depositado no meu interior?

Isso tudo é muito precioso; é algo que não se pode perder. Você também pode registrar:

– O que, a partir dessa Palavra, Deus diz hoje de mim?
– O que Ele diz para mim?

A ruminação da Palavra é a medida perfeita para certos momentos-chave: para dias de retiro, deserto, revisão; em horas de discernimento, diante de escolhas e decisões. O Senhor com certeza vai conduzir você, mesmo que não haja tempo e até disposição inicial, a embarcar decididamente na experiência da Ruminação da Palavra.