Ano C - Evangelho de Lucas (Parte 6)

As Mulheres

 

É traço bem característico de Lucas a atenção que ele dedica às mulheres, no seu evangelho. Na cultura grega, a posição social da mulher era melhor do que no judaísmo, e Lucas desejava mostrar claramente que o evangelho não assumia a atitude judaica em relação à mulher.

Antes de tudo, nosso pensamento corre veloz até Maria, que ocupa lugar de destaque nas narrativas da infância de Jesus. Outras mulheres são introduzidas no evangelho de Lucas: Isabel, a mãe de João Batista (1,39-58); Ana, profetisa (2,36-38); as irmãs de Betânia, Marta e Maria (10,38-42); as mulheres da Galileia, que acompanhavam Jesus no ministério público (8,1-3) e estavam com José de Arimateia, observando o túmulo de Jesus (23,55); Mais Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago, que testemunharam a ressurreição de Jesus (24,4-10).

No evangelho de Lucas, encontram-se também: a mulher que proclamou bem aventurada a mãe de Jesus (11,27-28); a viúva generosa, que depositou no cofre do templo tudo o que tinha para sobreviver (21,1-4); a viúva de Naim, cujo filho adolescente voltou a viver pelo poder de Jesus (7,11-17), e as mulheres de Jerusalém que foram ao encontro de Jesus no caminho para o Calvário (23,27-31). Além disso, encontramos duas parábolas próprias de Lucas, cujas protagonista são mulheres: a da moeda perdida (15,8-10) e a do juiz injusto (18,1-8).