A Esmola da Viúva

"Esta, porém, colocou tudo o que tinha, todo o seu sustento" (Mc 12,44)

 


Um dia, meus discípulos e eu observávamos os ricos depositar dinheiro no tesouro do templo, quando uma pobre viúva veio e depositou duas pequenas moedas. E eu disse "... esta pobre viúva deu mais do que todos os outros que depositaram no tesouro. Porque todos os outros colocaram o que lhes sobrava; esta, porém, colocou tudo o que tinha, todo o seu sustento" (Mc 12,43-44).

Qual a lição deste fato? Que a oferta é menos importante do que o espírito com que é feita.

Se com amor ofereces tudo, não importa que seja pouco. Tem maior valor aos meus olhos do que muito oferecido por aqueles que têm em abundância.

Teu "óbulo da viúva" não é somente dinheiro, é tudo: é o em material, o espiritual, o mental, são os bens sociais que possuis. Oferece-os todos a mim. Prontifica-te a me oferecer tudo o que tens, mesmo aquilo que te é mais caro, a tua paz de espírito, se assim for minha vontade.

Com minha graça é possível um tal pobreza de espírito. Abraão estava pronto a sacrificar Isaac, seu único filho, por causa da palavra divina. Jó perdeu todos os seus bens, sua saúde e até seus filhos. Contudo, não se afastou de seu Criador. Minha mãe viu-me morrer na cruz, mas nenhuma queixa saiu de seus lábios.

Da mesma forma que eles não permitiriam que coisa alguma impedisse o caminho de minha vontade divina, assim , se fosses completamente um outro eu, desprender-te-ias de qualquer ego que nos pudesse separar.

No momento em que compreenderes que nada te pertence, acharás mais fácil praticar este desapego.

Mesmo que teus bons pensamentos não te pertencem; pertencem ao Espírito Santo. nada é teu: nem os bens espirituais, nem a consolação, nem a oração, nem os santos desejos. Todos são dons meus.

Se te ofereço consolações que te aproximem mais de mim, sê agradecido. Não as procures, porém, nem te apegues a elas. Se te permito desolação, desprendendo-te dos desejos e afetos terrenos, levando-te pela noite escura dos sentidos e do espírito a uma união mais íntima comigo, sê mais agradecido ainda. As noites escuras são uma benção muito maior do que a consolação, porque são o caminho seguro de meus escolhidos para uma união mais íntima comigo. não te alarmes nem desanimes. Entrega-te completamente a mim. Diz-me que fazes minha vontade não porque te traz alegria, mas unicamente porque me amas.

Se nada é teu, então não te pertences. Apesar de saber que pertences a teu Criador, frequentemente procedes como se fosses a origem de todas as tuas qualidades e talentos, como se fosse dono de ti mesmo.

Medita nesta verdade: és minha criatura, totalmente minha. Se o fizeres, encontrarás facilmente a mais viva consolação: saber que pertences ao Deus todo-bondade, Todo-Poderoso, todo-amor. E se lhe pertences, ele certamente cuidará de ti com incomparável ternura. Como é admirável, como é tranquilizador saber que se pertence a Deus! Podes imaginar algo mais sublime?

Prende-te somente a mim. não te apegues a nada, nem mesmo ao teu bom nome. Julga-te feliz quando os homens ultrajarem, te perseguirem, falarem mal de ti sem razão e por causa de mim. Alegra-te ao se despojado de teus bens.

Sentes alegria quando te ultrajam ou te perseguem por causa de mim? Ou sentes indignação e revolta? É bom defender a verdade e opor-se àqueles que querem impedir a vinda do Reino de Deus. Mas tem cuidado para que teu zelo seja realmente pelo meu Reino.

Aprende a amar a minha vontade.

Não somente deves aceitar tudo o que te envio, mas também amar a vontade que o envia.

Quando amares de verdade minha vontade, então estarás completamente despreocupado a respeito dos acontecimentos, pois o que acontece é por desígnio meu. Muitos de meus santos chegaram a um estado de quase completa indiferença, nada desejando, nada recusando, nada pedindo a não ser a graça de conhecer e de fazer a minha vontade.

Teresa, no seu ato de oblação, pedia a graça de chegar à posição que eu lhe destinei no Céu, sem se preocupar se seria superior ou inferior. Minha vontade era seu único desejo, porque ela me amava.

Imita-a e aceitarás, com igual amor, desolação ou consolação, sol ou chuva, pobreza ou riqueza. Olharás tranquilamente para o futuro. Pensarás e dirás no mais profundo de teu coração: "Tua vontade seja feita, qualquer que seja. Nem quero preocupar-me indevidamente, em conhecê-la."

Procede assim. e terás a minha paz.